segunda-feira, 21 de novembro de 2016

VOLTAS NA PRAÇA BATISTA CAMPOS COM PAULO PLÍNIO ABREU
                                                                                                           




Foi preciso esperar você
Foi preciso andar com você
Para não ir mais procurar
Refúgio no céu da literatura
Ir ao fundo do mar
Repleto de silêncio
Boca contra boca
Um sobre o corpo do outro
Olhos saltando para fora das órbitas
Uma volta uma inclinação uma roda
Foi preciso de algum lado­­­ para além
De você mesmo fazer desfazer dizer
Engendrar retornar simplesmente vir
Foi preciso fazer você falar
Tenso crispado enlaçado
Sem que emanasse palavra
Dessedento inabordável
A carnificina dos peixes degolados
Para alimentar de poesia a cidade
Onde nada mais sabem de você
Vamos ao reino dos mortos vamos
Por uma brecha no fim da tarde má
Sorte é o privilégio dos que nascem





Ney Ferraz Paiva

Nenhum comentário:

Postar um comentário