sexta-feira, 22 de novembro de 2013

BASQUIAT DEVE TER PAGO 40
DÓLARES A ANDY WARHOL

espreguiçados lado a lado na poltrona
resgatada não se sabe mais de que naufrágio
carregar a cruz de horizontes esfolados
sem que um possa ajudar o outro
pouco sabendo da noite de ontem nem do que será hoje
lembro que você pagou a Andy Warhol aquela grana
ele – gigolô da arte – achava se tratar de muito mais
por nunca ter dado conselhos financeiros
não seguimos ao pé da letra o velho Rilke
cartas que jamais escreveu ao jovem grafiteiro estraçalhado
tentando improvisar nas ruas de Nova York uma fala a mais
de longa quilometragem tantos desastres toda essa merda
entranhando-se mais & mais no mar difícil da noite
tórax literalmente perfurado escancarado 
aí se afogar se deixar engolir por amor esse amontoado de destroços
carregar a cruz de horizontes esfolados
um logro uma mentira uma blasfêmia
sem que um possa ajudar o outro
soçobrados lado a lado batemos papo
ficamos tentando ser daquele jeito


ney ferraz paiva

sábado, 16 de novembro de 2013

ALTO-FALANTE PARA IMPROVISAÇÕES



era o rádio sintonizado num som aleijado

era o rádio mergulhado no vômito no sofá

era o rádio insaciável embriagado censurado

era o rádio paralisado por um câncer devastador

era o rádio indo às montanhas respirar o ar da vida

era o rádio gago num diálogo arrastado pelos olhar

era o rádio na chuva escutando ópera a esmo

era o rádio numa vigília ridiculamente romana

era o rádio com medo minuciosamente detalhado

era o rádio com cigarro cortando a pele do pulmão

era o rádio anárquico a qualquer forma de estado

era o rádio desatualizado de papo pro ar

era o rádio sem o menor faro pra notícia




ney ferraz paiva